Operação apreende madeira transportada em rios da Amazônia.
Fonte: Envolverde/MMA

O Ministério do Meio Ambiente, o Ibama e as polícias Federal e Civil vão montar uma base fluvial de fiscalização na confluência entre os rios Curuá-una e o Amazonas para coibir o transporte de madeira ilegal na região de Santarém, no Pará. A medida foi anunciada hoje pelo ministro Carlos Minc, durante a operação Bajara, que apreendeu cerca de 1000 m3 de madeira ilegal na região de Santarém (PA). Minc constatou até a esperteza dos madeireiros para driblar a fiscalização por satélite.

Dados das autoridades ambientais que atuam na região dão conta de que o volume total de toras extraídas ilegalmente, e que seriam escoadas pelo rio, pode chegar a cerca de 40 vezes o que foi apreendido, o suficiente para encher 10 mil caminhões. A madeira chegou a ser observada em sobrevôo. Somente no local do pouso do helicóptero foi encontrado 3 mil metros cúbicos. O ministro anunciou, ainda, que a Polícia Federal, a Força Nacional de Segurança e o Ibama iniciam nesta segunda-feira (29) uma mega operação de desarmamento na região, dominada pelas milícias que dão apoio à exploração ilegal de madeira nobre.

A ideia é quebrar o sistema de proteção, inibir a grilagem e conter a violência na área, para assegurar a atuação efetiva da fiscalização e combate ao desmatamento no oeste do Pará. A operação Bajara, a 23ª que conta com a participação direta de Minc, teve início na manhã desta sexta-feira (26), com a apreensão pelas autoridades de uma balsa que transportava grande quantidade de madeira.

Nas vias de acesso à serraria e numa clareira no meio da floresta foi apreendida enorme quantidade de madeira pronta para ser embarcada pelo rio. Os desmatadores, segundo o ministro, estão cada vez mais se sofisticando para inibir a ação fiscalizadora por satélite, os programas Prodes e Deter, do Inpe. "Desta vez eles conseguiram driblar a detecção fazendo um corte seletivo, retirando apenas madeiras nobres", constatou Minc. A ação contou com a participação do assessor especial do MMA, José Maurício Padrone que coordenou a parte operacional da ação, do Chefe de Fiscalização Gustavo Podestá e a da gerente regional do Ibama em Santarém, Poliana Nunes.

Voltar para Fiscalizações - Meio Ambiente