Polícia fiscaliza uso de tacógrafo.

Fonte: Folha de Londrina

Sete veículos de transporte coletivo e escolar foram multados ontem pela Polícia Rodoviária Federal e pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Paraná (Ipem) por estarem sem o tacógrafo - equipamento obrigatório As multas foram aplicadas durante fiscalização no posto da PRF, na BR-369, em Ibiporã (Norte)
O saldo da fiscalização preocupou o diretor-técnico do Ipem, Shiniti Honda ''Analisamos 15 veículos Todos que transportavam cargas perigosas tinham tacógrafo, apenas os de transporte coletivo e escolar não contavam com o item, o que demonstra a falta de conscientização''
Mais conhecido como tacógrafo, o cronotacógrafo serve para registrar velocidade, tempo e distância percorrida por um veículo em seu deslocamento ''Ele é importante para evitar acidentes pois, de certa forma, registra o modo de condução do motorista É também ferramenta utilizada pela polícia para descobrir causas e culpados em acidentes''
O uso do equipamento é obrigatório em veículos de transporte coletivo e escolar Motoristas de caminhão que transportam carga comum têm até 31 de dezembro para se adaptar à nova exigência do Código de Trânsito Brasileiro ''. A multa pela ausência do item é de aproximadamente R$ 1 mil'', explicou Honda
Ricardo Pires, vendedor de autopeças em Londrina, afirma que nos últimos meses houve crescimento na venda de tacógrafos ''Em novembro vendemos cerca de 15 A maioria dos compradores teve o equipamento roubado ou danificado''
Segundo ele, o tacógrafo mais barato, que é o mecânico, custa em média R$ 1,4 mil ''Comercializamos também o tacógrafo elétrico por R$ 1,8 mil e o digital por R$ 3 mil'' Periodicamente os equipamentos precisam ser avaliados pelo Inmetro A verificação custa R$ 149
A reportagem procurou a Polícia Militar, que confirmou a existência de roubos do equipamento, mas não soube informar o número de casos
O caminhoneiro David Steinbrecher, 28 anos, começou neste ano a acompanhar o pai, Armin, nas viagens Seu pai está na profissão há mais de duas décadas ''O uso do tacógrafo talvez interesse mais para as empresas ficarem informadas sobre o trabalho dos funcionários Até porque existe pouca fiscalização Nunca fomos parados'', comentou ele, que é autônomo Segundo Honda, as fiscalizações começaram na semana passada, em Curitiba ''Nesse primeiro momento estamos atuando nas rodovias Na próxima etapa faremos visitas em garagens de ônibus e de caminhões'', explicou.





















Voltar para:
Notícias Produtos Perigosos