As abelhas podem contribuir para o monitoramento da poluição

Fonte: Assessoria de Imprensa do Sebrae-MG

As abelhas podem contribuir para o monitoramento da poluição. É o que afirma o professor Másio Sérvulo Magalhães, da Federação Mineira de Apicultura (FEMAP). Segundo Másio, as abelhas de uma colméia buscam alimentação em uma área que abrange cerca 3 mil hectares.

“Na busca de alimentos, as abelhas têm contato com o ar, solo e plantas. O néctar coletado nos ambientes traz uma amostragem da contaminação atmosférica depositada nas superfícies”, afirma Másio.

A partir da coleta das abelhas, exames laboratoriais realizados no mel, na própolis ou no corpo dos insetos indicam, por exemplo, se existe grande utilização de agrotóxicos na área pesquisada. Másio explica que o biomonitoramento também pode ser feito em regiões industriais para verificar o índice de poluições emitidas na atmosfera.

Másio Magalhães participou, na última semana, do ciclo de palestras da apicultura, promovido pelo Sebrae-MG na Superagro. O evento reuniu mais de 130 pessoas no Expominas.


 

 



Voltar para Notícias - Meio Ambiente