PRF promove campanha para avaliar saúde de caminhoneiros

Fonte: Agência Brasil, 15/4/2010

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) deu início em 14/04/10, na BR-040, que liga o Distrito Federal a São Paulo, a uma campanha para avaliar a saúde de caminhoneiros. Realizado em parceria com o Serviço Social do Transporte (Sest) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), o Comando Saúde Preventiva tem o objetivo de realizar procedimentos médicos para avaliar a qualidade de vida e saúde dos motoristas que trafegam diariamente nas rodovias do país.

Os motoristas puderam aferir a pressão arterial, fazer exames rápidos para diagnosticar problemas na visão, glicemia (que mede a quantidade de açúcar no sangue para detectar diabetes), além de avaliações de altura e peso e de uso de medicamentos durante a jornada de trabalho. Os caminhoneiros também receberam orientações para evitar o uso de remédios que diminuem o sono e o cansaço durante as viagens. De acordo com informações da PRF, boa parte dos caminhoneiros que se envolvem em acidentes por cochilar no voltante fez uso desse tipo de medicamentos.

O chefe de comunicação da PRF, Lucas Barbosa, afirma que a ação é uma forma de alertar os caminhoneiros quanto à importância de realizar rotineiramente exames para evitar acidentes nas rodovias do país. “A partir de estudos constatamos vários acidentes em decorrência de problemas de saúde dos caminhoneiros. Avaliar a qualidade de vida desses profissionais e orientá-los a procurar um atendimento médico constante é uma maneira de evitar acidentes e melhorar a segurança nas rodovias federais.” Barbosa afirma que a ação é desenvolvida nas principais rodovias de todo o país.

Para 2010, estão previstas mais três ações de prevenção e educação no trânsito e, ao final do projeto, serão consolidados estatisticamente os dados dessas operações. O caminhoneiro Marcos Roberto Alves, 39 anos, avalia de forma positiva a iniciativa e afirma que, no dia a dia, não há tempo para realizar esses procedimento médicos. “Não temos tempo de realizar esses exames, no corre-corre do trabalho, então é uma excelente oportunidade. Dependendo dos resultados devo levá-los à empresa e realizar um atendimento médico fora daqui. É preciso cuidar da saúde e não prejudicar outras vidas no trânsito”, defendeu Alves, há 13 anos na profissão.

A técnica em enfermagem Luzineide Rocha afirma que boa parte dos motoristas que participaram da ação tem problemas de pressão alta e glicemia decorrentes do clima de estresse. “A maioria necessita de cuidados, principalmente a pressão alta, glicemia e colesterol altos. Muitos já fazem uso de medicamentos. Sem dúvida o estresse nas estradas tem sido um grande fator que contribui para o surgimento dessas doenças ou mesmo para agravar os casos.”

As avaliações dos caminhoneiros serão arquivadas para avaliar o perfil da saúde desses profissionais e, posteriormente, será analisada a possibilidade de repassá-las às empresas para ajudar na prevenção e nos cuidados com a saúde dos trabalhadores.

 


Voltar para:
Notícias Segurança no Trânsito