Em Minas Gerais, 65 cidades estão em situação de emergência e 15 mil sem casa

Fonte: G1

Em muitas cidades, como São Sebastião da Bela Vista, no sul do estado, o acesso às casas só é possível de barco.

Minas Gerais também sofre com os temporais. Já são 16 mortes desde o início da temporada de chuvas. Ao todo, 65 cidades declaram estado de emergência. A região sul do estado é a mais atingida.

Durante a madrugada, choveu muito. Nas cidades atingidas, ruas estão alagadas. Ao todo, são 559 pessoas desalojadas, centenas de desabrigados, 61 casas danificadas e uma morte por soterramento. Quatro pontes foram destruídas e seis, danificadas.

Na terça-feira (11/01/11), a situação foi muito complicada na região. Em Minas Gerais, 65 municípios decretaram situação de emergência. A Defesa Civil alerta: vem mais chuva por aí. Em muitas cidades, como São Sebastião da Bela Vista, no sul do estado, o acesso às casas só é possível de barco. “Estou preocupado, fazer o quê? A família está toda dentro de casa e não pode sair”, comentou um senhor.

É o sul de Minas que mais tem sofrido com os temporais. Em Careaçu, o Rio Sapucaí transbordou e inundou dezenas de casas. “Quase todo ano a gente tem de sair. Só prejuízos, somente prejuízos”, lamentou outro senhor.

Moradores tiveram de abandonar tudo às pressas. Quinze famílias estão vivendo em abrigos improvisados em uma igreja e em escolas públicas. “A gente tem de sair logo. Enquanto a gente está na casa da gente, é muito melhor”, comenta um mineiro.

Mais de 500 pessoas estão desabrigadas na região por causa da chuva. Uma pessoa morreu soterrada. Em Pouso Alto, na Serra da Mantiqueira, a prefeitura improvisou uma passarela depois que a enchente carregou as duas únicas pontes de uma comunidade.

“Tudo a gente depende da cidade: para compras e para médico, a gente depende de Pouso Alto”, comentou a dona de casa Maria Janete Gonçalves.

Em Itamonte, que faz divisa com o Rio de Janeiro, a água do Rio Capivari não para de subir e já está cinco metros acima do normal. Itamonte tem cerca de 18 mil moradores e pelo menos cinco mil foram atingidos pelas enchentes. Em nove bairros e no Centro da cidade houve pontos de alagamentos. Segundo a Defesa Civil, cem pessoas estão desalojadas.

“Eu peço a Deus que tenha misericórdia de mim. Quero sair daqui”, disse a dona de casa Viviane de Carvalho Ribeiro.


Voltar para:
Notícias Cotidiano