Defesa Civil completa ciclo de fiscalização de produtos perigosos no RS


A Defesa Civil Estadual, através da Divisão de Apoio Técnico, coordenou durante este ano 11 operações de fiscalização de produtos químicos perigosos. Na terça-feira (06/12/11), a cidade de Cruz Alta foi sede da última vistoria. As operações foram geograficamente dispostas na malha rodoviária do Rio Grande do Sul, conforme mapeamento efetuado pelos órgãos de licenciamento ambiental, saúde e defesa civil, visando a atuação preventiva junto aos motoristas. Este ano, foram abordados 1.547 veículos, sendo que 237 acabaram sendo autuados por conter algum tipo de irregularidade em relação à produtos químicos.

Entre oficiais e pessoal em treinamento, aproximadamente 305 pessoas estiveram participando. Durante a abordagem, os motoristas foram orientados sobre procedimentos de transporte seguro, equipamentos de segurança e equipamentos de proteção individual, além das condições de conservação dos veículos e adequação da legislação em vigor. Os pontos de maior incidência de fluxo de veículos contendo produtos perigosos, com número significativo de acidentes, foram os locais escolhidos para as operações.

Calendário
Isso levou a Comissão Estadual P2R2 (Prevenção, Preparação e Resposta Rápida) a organizar o calendário abrangendo os municípios de Montenegro, Uruguaiana, Farroupilha, Erechim, Rio Grande, Ijuí, Rosário do Sul, Santa Rosa, Torres, Gravataí e Cruz Alta. O objetivo foi proporcionar a divulgação das ações que constituem as responsabilidades da Comissão Estadual de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos (CE-P2R2). Este grupo faz parte de um sistema implantado em todo o Brasil, que visa atuar preventivamente, fiscalizando, coordenando e criando políticas e legislação voltadas à redução de acidentes químicos, seja na indústria, manipulação ou transporte destes produtos no Brasil.

Ações integradas
Segundo o coordenador da Divisão de Apoio Técnico, tenente Elias Daniel Poncio, as operações procuraram integrar vários órgãos. Os representantes federais foram: Polícia Rodoviária Federal, IBAMA, ANTT e INMETRO. Secretaria da Saúde, Secretaria da Fazenda, DAER, FEPAM, Brigada Militar, através do Comando Rodoviário, Comando do Corpo de Bombeiros e Comando Ambiental da Brigada Militar, foram os órgãos estaduais engajados na operação. Algumas representações dos municípios locais também apoiaram as fiscalizações.

Levantamento técnico
O próximo passo da Divisão de Apoio Técnico será efetuar um levantamento técnico sobre as fiscalizações, providenciando estatísticas que possam resultar em atitudes e ações corretivas para os problemas encontrados no decorrer das operações.



Fonte: Governo do Estado do Rio Grande do Sul

 

Voltar para:
Fiscalizações Produtos Perigosos