Com medidas do Banco Central, juros ao consumidor sobem

SÃO PAULO – As medidas macroprudenciais do Banco Central para reduzir o consumo começaram a surtir efeito. E a taxa média de juros cobrada nos financiamentos à pessoa física voltou a subir em março. Frente a fevereiro, a alta foi de 5 pontos-base.

No terceiro mês do ano, os juros médios ficaram em 6,78% ao mês. Em fevereiro, a taxa era de 6,73% ao mês. Com relação à taxa média registrada no mesmo período do ano passado, ela se manteve praticamente estável, uma vez que, em março daquele ano, a taxa média era de 6,77% ao mês.

Os dados fazem parte de pesquisa divulgada nesta quinta-feira (14) pela Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade). O coordenador do levantamento e vice-presidente da associação, Miguel José Ribeiro de Oliveira, destaca que os impactos da recente mudança da alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) só devem ser verificados na pesquisa do próximo mês.

Selic e juros ao consumidor
De acordo com dados divulgados pela Anefac, desde janeiro de 2010, a taxa básica de juros aumentou 300 pontos-base, para 11,75% ao ano em março de 2011, enquanto os juros ao consumidor caíram 254 pontos-base no mesmo período. Eles passaram de 121,96% ao ano em janeiro do ano passado para 119,72% ao ano no mês passado.

Por modalidade
Entre o segundo e o terceiro mês deste ano, apenas os juros do cartão de crédito mantiveram-se estáveis. Todas as outras linhas de crédito acompanhadas pela Anefac apresentaram alta nas taxas médias apuradas no período.

Na comparação com março de 2010, os juros do empréstimo pessoal com bancos e financeiras caíram, bem como as taxas médias do comércio. Por outro lado, os juros do cheque especial e do CDC (Crédito Direto ao Consumidor) subiram nesse período. Novamente, as taxas do cartão mantiveram-se estáveis.

Fonte: UOL Notícias

 


Voltar para:
Notícias Cotidiano