Transporte de cargas perigosas é alvo de fiscalização no RS
Ação conjunta, envolvendo todos os órgãos de segurança, fiscaliza mais de 530 caminhões e busca cumprir a regulamentação da Fepam e coibir o transporte ilegal de cargas

O transporte de produtos perigosos é um caso particular do transporte de mercadorias numa cadeia de fornecimento. Durante esta atividade, vários fatores passam a ser críticos e a imprudência pode significar não só a perda de mercadoria como um elevado risco para as pessoas envolvidas no transporte e também para o meio ambiente.

Baseada nessa premissa e, em cumprimento a Lei 7.877, que dispõe sobre o transporte de cargas perigosas no Rio Grande do Sul, da Fepam – Fundação Estadual de Proteção Ambiental, a Defesa Civil coordenou operação de fiscalização na RS 135 durante toda quarta-feira, 08/08/2012. A operação contou com a participação da Polícia Rodoviária Estadual, Inmetro, Receita Estadual, Brigada Militar, Patram, Corpo de Bombeiros, Brigada Militar, Diretoria de Trânsito e Polícia Rodoviária Federal.

Mais de 500 veículos fiscalizados durante operação conjunta
FOTO KARINE HELLER DM

 

De acordo com coordenador regional da Defesa Civil de Passo Fundo, capitão Jamir Lago, todos os materiais perigosos podem ser transportados desde que sejam atendidas as exigências legais. “Com vista à otimização da segurança na movimentação de cargas perigosas, as empresas e os condutores devem levar em consideração todos os aspectos que envolvem o transporte”, pontua.

Entre esses aspectos, o tenente da Defesa Civil, Elias Daniel Poncio ressalta sobre a classificação adequada do material antes de ser transportado, cumprimento da regulamentação, que não só ajuda na prevenção de riscos, como evita severas multas. Ainda, embalagens apropriadas a cada carga, documentação com os detalhes do conteúdo e características do material a ser transportado que facilita todo o processo na cadeia logística, marcação, identificação e sinalização.

Outro destaque levantado diz respeito à atualização. Mudanças nas leis, propriedades dos materiais ou condições ambientais, são inevitáveis. Ainda, alterações de operação e fornecimento por parte das transportadoras e fornecedores, tornam fundamental que o cenário seja permanentemente monitorizado e que sejam tomadas ações preventivas e corretivas em caso de necessidade.

Durante a fiscalização foram abordados 530 veículos, sendo que 100 autuações foram expedidas pela Polícia Rodoviária Estadual, relacionadas a irregularidades quanto a cargas perigosas. Destes, quatro caminhões foram removidos ao depósito mediante guincho e três foram apreendidos por crime ambiental, por transportarem carga sem licença da Fepam. Esses três caminhões foram liberados após o comparecimento de um profissional químico e mediante assinatura de Termo de Responsabilidade. O Inmetro notificou 10 caminhões por irregularidades referentes ao Certificado de Capacitação e a Patran expediu uma notificação por irregularidades no transporte de aves. Já a Polícia Rodoviária Federal, que apoiou a operação atuando dentro da sua jurisdição, fiscalizou 65 veículos, sendo 22 autuados e três removidos ao depósito. Já em relação a Receita Estadual, nenhum dos veículos fiscalizados estava em situação irregular.

Fonte: Diário da Manhã
Karine Heller
(Redação Erechim / DM)

 

Voltar para:
Fiscalizações Produtos Perigosos