Quem leva material reciclável ou lixo eletrônico para prefeitura concorre a prêmios em dinheiro.


Uma campanha em Morro Agudo, no interior de São Paulo, incentiva o descarte correto do lixo. Quem leva material reciclável ou lixo eletrônico para a Prefeitura concorre a prêmios em dinheiro.

A coleta seletiva existe há sete anos, mas segundo o idealizador do programa, Mário Luís Brunhara. A cidade não dava conta desse tipo de resíduo. A iniciativa não só aumentou o recolhimento de recicláveis, como resolveu outro problema – o lixo eletrônico, cheio de metais pesados, nocivos ao meio ambiente.

“Nós percebemos que através da nossa campanha nós poderíamos incentivar as pessoas a fazer o descarte correto desse lixo e, ao mesmo tempo, premiá-las por isso”, conta Brunhara.

São tantos televisores, geladeiras, micro-ondas, monitores, teclados, placas, que foi preciso reservar uma sala inteira. Tem mês que um caminhão é pouco para levar todo o material embora.

“Esse material ia para o aterro sanitário, mas ele ia pro lixão mesmo. Hoje, o lixo eletrônico vai para uma empresa em Paulínia, que recebe o material, e nos dá uma certificação para onde cada componente perigoso está sendo destinado”, diz o coordenador de Meio Ambiente da Prefeitura de Morro Agudo, Luís Fernando Cardoso.

Todo o resto do lixo vai para uma cooperativa de catadores de recicláveis da cidade. Só aumentou a quantidade de material vendido para as empresas e, consequentemente, a renda que é dividida no fim do mês.

Antes, os catadores só vendiam o que era recolhido nas ruas. O volume passou de 10 toneladas para 23 toneladas por mês.

A cada 1 kg de material reciclável que entrega, o morador recebe um cupom. Os sortudos ganham prêmios em dinheiro no valor de R$ 100, R$ 200 ou R$ 300 ou ainda vale-compras no comércio. Em média, são sorteados entre R$ 3 mil e R$ 4 mil por mês.

 

Fonte: G1

 

Voltar para:
Notícias - Meio Ambiente