Cresce o número de roubos de explosivos para uso em ataques a caixas eletrônicos

Só neste ano, foram 22 roubos, contra 20 no último trimestre de 2011.
Segundo polícia, material é usado em ataques a caixas eletrônicos.

O número de roubos de explosivos cresceu no estado de São Paulo. O SPTV teve acesso aos dados da Polícia Civil sobre esse tipo de crime, que demonstra que no último trimestre de 2011 ocorreram 20 roubos – contra 22 neste ano. Só em fevereiro aconteceram dez casos.

O Exército fiscaliza a fabricação e a armazenagem dos explosivos, mas não controla o caminho que esses produtos perigosos fazem até chegar aos compradores, como as pedreiras. Caminhões carregados de dinamite percorrem as estradas que cortam o estado sem escolta. E os roubos acontecem.

A polícia acredita que os explosivos roubados estejam sendo usados por ladrões de caixas eletrônicos. Neste ano, pelo menos 29 foram atacados na Grande São Paulo. Nesta semana, um grupo entrou em uma agência bancária com pés-de-cabra, instalaram a dinamite, acenderam os pavios e destruíram o prédio.

Por isso, o transporte de explosivos virou uma nova preocupação para a segurança pública. “Nós temos a ideia de fazer um documento sugerindo mudanças nessa área para todos os atores envolvidos: fabricantes, compradores, transportadores e os agentes do estado que têm que fiscalizar”, afirma o delegado-geral de São Paulo, Marcos Carneiro Lima. Segundo ele, além da escolta, "a questão de limitar o total de peso a ser transportado" pode facilitar o trabalho da polícia.




Fonte: G1

 

Voltar para:
Notícias - Produtos Perigosos