MPT encontra até cercado para bebê em fazenda durante fiscalização em Tupã
Ministério Público do Trabalho já notificou vários donos de propriedades. Em uma olaria, funcionários estavam sem equipamentos de proteção.


Cercado de bebê foi localizado em uma fazenda de Tupã (Foto: Reprodução TV TEM)

O Ministério Público do Trabalho de Bauru (SP) retomou nesta semana a fiscalização em fazendas do Centro-Oeste Paulista. Nesta terça-feira, os procuradores acompanhados pela Polícia Rodoviária Federal estiveram em Herculândia e Tupã (SP). Em uma das propriedades, um cercado para bebê estava no meio do local de trabalho.


Cama usada por trabalhador estava ao lado de botijão de gás (Foto: Reprodução TV TEM)

Em uma fazenda de café e seringueira, em Herculândia, os procuradores encontraram um trabalhador sem registro em carteira fazia a extração de látex. Um trabalhador não usava luvas de proteção para fazer a extração. Ao percorrer a fazenda, os procuradores encontraram outros funcionários sem os equipamentos de proteção individual. Em uma casa de máquinas onde é feito o beneficiamento do café o ruído é grande, mas os dois funcionários não usavam protetores nos ouvidos.

Além disso, um deles estava sem botas para proteger os pés e usava apenas meias. Na mesma fazenda de café, a fiscalização encontrou embalagens de agrotóxicos vazias descartadas irregularmente. Eram de produtos altamente perigosos tanto para a saúde humana quanto para o meio ambiente.

Embalagens de produtos químicos, que não podem ser reutilizadas, também serviam de recipiente para armazenar a água e comida de animais. O alojamento dos trabalhadores é precário, a cozinha e os dormitórios ficam no mesmo ambiente. Uma das camas estava bem perto do botijão de gás. E outra cama ficava embaixo de uma varanda e exposta ao frio. E ainda, um funcionário dormia do lado de fora. O proprietário da fazenda foi notificado pelos procuradores e terá que regularizar a situação. Caso contrário, pagará multa.


Em outra fazenda de café, em Tupã, mais irregularidades foram encontradas. Embalagens com restos de agrotóxicos estavam jogadas no chão. Na fazenda também funciona uma olaria e os trabalhadores estavam sem nenhuma proteção. No meio da olaria, a fiação de energia elétrica improvisada fica bem perto dos trabalhadores. E um flagrante: os procuradores encontraram um cercado para bebê.


Trabalhador estava em olaria sem nenhum equipamento (Foto: Reprodução TV TEM)


No forno da olaria, mais irregularidades. O contato dos trabalhadores com a lenha e o fogo também estava sendo feito sem nenhum equipamento de proteção. O responsável pela propriedade foi notificado e assim como os outros fazendeiros terá que comparecer nesta semana no Ministério do Trabalho.

Fonte: G1 Bauru e Marília

 

 

Voltar para:
Notícias - Segurança do Trabalho