Alimentos com corantes escondem perigos.
Fonte: G1

Eles são atraentes, mas o colorido esconde o risco de desencadear uma alergia e até complicações respiratórias.

Tudo está no rótulo. Difícil de ler e de interpretar, mas o Jornal Hoje dá uma ajudinha. Na prateleira, bem à mostra, ou disfarçados na composição dos alimentos. É uma tentação colorida. Atraentes, permitidos por lei, mas perigosos.

Fotos mostram reações a corantes artificiais. São manchas na pele, coceiras e inchaços e até complicações respiratórias, em casos mais graves. “Se realmente ela ficar sufocada a ponto de não respirar pode levar a morte, mas isso em casos extremos”, diz, Rejane Neves Douza, bioquímica. Para enxergar o nome, só olhando o rótulo bem de perto. Entender é outra coisa.

Urucum e cúrcuma são corantes feitos a partir de produtos naturais. O problema é que boa parte dos alimentos industrializados usa aditivos artificiais para realçar as cores. Amarelos de vários tipos e vermelhos com todas as suas combinações. Dois bombons e o corpo de Alana ficou todo encaroçado. A mãe diz que o problema estava no num tipo de corante amarelo usado na fabricação do chocolate.

“O exagero de corantes nos produtos vai aguçar mesmo o olhar das crianças”, diz Tânia Monteiro, dona de casa. “Hoje eu estou mais adaptada, eu vejo o que eu posso o que não”, comenta Alana Monteiro, estudante. Seja lá qual for a reação, nada de correr pra farmácia da esquina, se automedicar. O certo é procurar logo um especialista em alergias. Ele vai fazer exames e investigar que substancia causou o problema.

O tratamento para aliviar os sintomas inclui remédios à base de corticóides e antialérgicos e pode demorar. “Às vezes pode ter caso que se chega a conclusão em três, quatro meses. Tem gente que às vezes tem urticária durante 20, trinta anos”. Luiz Carlos Bertoni, médico Para evitar novas reações é preciso eliminar de vez o corante das dietas. E pra isso, vigilância rigorosa na mesa e na hora das compras.

Como faz a Sandra, mãe de um menino alérgico a corantes amarelos. Passamos a não usar e ele tem melhorado bastante. Uma de cada dez pessoas que consomem corantes com frequência desenvolve algum tipo de alergia.

Voltar para:
Notícias - Cotidiano