Genéricos estão ficando mais caros que os remédios de marcas.
Fonte: Megaminas

Criados para ser uma alternativa de preço mais em conta para o consumidor, os medicamentos genéricos estão ficando mais caros que os remédios de marcas. Resultado da concorrência que obrigou os laboratórios a baixar drasticamente os preços. Muitas pessoas que não comparam preços na hora da compra podem acabar gastando mais.

Segundo o Ministério da Saúde, de cada cinco remédios vendidos, um é genérico. A proposta de oferecer medicamentos mais baratos produziu uma situação curiosa. Mas nem sempre o produto que é preferência entre os consumidores é o mais barato.

E não é mesmo. A vendedora Fabiana Alves sentiu isso no bolso. Ela usa medicamento para combater a enxaqueca e teve uma surpresa ao comprar o genérico ao invés do produto de referência.

O genérico utilizado pela vendedora custa, em média, R$48, ou seja, o dobro do preço do medicamento de referência que custa, em média, R$20. Em um ano comprando o medicamento genérico Fabiana gastaria R$576, ou seja, gastaria cerca de R$300 a mais com o produto genérico. Para se ter ideia, com esse valor ela compraria cerca de 16 caixas do remédio de referência.

A equipe do MGTV procurou algumas farmácias da cidade. Nas lojas onde havia o genérico o produto de referência não estava disponível no mercado.

O empresário Fernando Xavier explica que o problema está na concorrência dos laboratórios. De acordo com ele, de cada 100 medicamentos genéricos, cinco custam mais caro que o de referência. Para não saírem do mercado as empresas tiveram que optar pela queda no preço.

Voltar para:
Notícias - Cotidiano